Quando aprendi a ler

12 ago

Aprendi a ler e escrever bem cedo. Eu tinha quatro anos e estava no jardim I, e minha turma tinha aula de manhã na mesma sala que o pré tinha aula à tarde, a diferença é que nós só aprendíamos a usar lápis de cor, enquanto eles aprendiam o alfabeto. Mas a sala era a mesma, recheada de murais contendo várias palavras, e um imenso alfabeto acima do quadro negro. Sendo assim, todo dia eu fazia a mesma coisa: pintava e desenhava de acordo com o que a professora tinha mandado, e depois copiava o alfabeto no verso da folha.

Assim passei o jardim I e o jardim II. Quando chegou a hora de entrar no pré, a diretora da escola chamou minha mãe para conversar. Ela disse que o objetivo principal do pré seria ensinar as crianças a ler e escrever, e, como eu já sabia, poderia pular direto para a primeira série. Nessa ocasião, minha mãe fez uma decisão muito sábia e me matriculou no pré mesmo. Os motivos eram vários: eu era uma criança muito pequenininha e teria dificuldade em me adaptar; além de português, no pré eles também ensinavam matemática; eu já tinha amiguinhas na turma; etc.

O que mais me intriga nessa história não eram as opções que minha mãe teve, nem a escolha que fez, mas o fato de que isso mudaria minha vida completamente. Não é apenas uma questão de imaginar se eu teria me adaptado à primeira série, e sim o que viria depois disso. Eu teria participado de grupos diferentes, feito coisas diferentes, teria outros professores, outros amigos, talvez nem tivesse chegado a conhecer meu namorado! E, se na hora que saí do terceirão eu já estava confusa sobre qual carreira seguir, imagine se isso tivesse acontecido mais cedo!

É impossível saber se minha vida seria melhor ou pior do que é, mas não tenho a menor dúvida de que hoje eu seria outra pessoa. Talvez uma pessoa melhor, talvez uma pessoa pior. As possibilidades eram infinitas!

Eram tão infinitas quanto são hoje.

Anúncios

2 Respostas to “Quando aprendi a ler”

  1. Conrado "Skipwolf" agosto 13, 2010 às 12:59 am #

    Nossa… bom vc nem deve se lembrar, mas eu estava no Concurso Caminhos Fantásticos e através do Forum da Jambô eu comecei a acompanhar seu Blog… fiquei surpreso com esse novo post, vc tinha parado o blog se me lembro… bom mas gostei do post, já me peguei pensando sobre esse tipo de coisa também. Apenas discordo de uma coisa… as possibilidas continuam sendo infinitas… como um dia o Spock disse ao Kirk HHAHAH “No final o que temos são apenas possibilidades…” hahahha

  2. Karen Soares agosto 13, 2010 às 9:16 am #

    Oi! É muito bom receber um comentário seu assim, tão imediatamente! =)
    Eu parei o blog porque passei a postar no blog da empresa que estou abrindo, mas, como nesse caso é um assunto muito pessoal, não seria legal colocar lá.

    Realmente, as possibilidades ainda são infinitas, para as opções que ainda estão por vir. O que quis dizer é que, para esse assunto a decisão já foi tomada, anulando todas as outras possibilidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s